28 February, 2011

Porque os meus dias não vão ser mais iguais, sem você, D. Fi.

Porque qualquer música pode ser transformada num Fado, se quiseres!...

E sem vocês, a Casa vai perder metade, pronto, vá... 3/4 da piada.

25 February, 2011

Como hoje já me "acusaram" de ser poliglota - foi a estagiária! - e eu estou pura e simplesmente apaixonada por este anúncio, cá está:


Porque todos precisamos de ser um poquito más tiernos e de um empurronzito - lier con sotaque españoli..
Para sermos mais felizes.

Agora vá, vamos todos ter um fim-de-semana docinho...

24 February, 2011

Primeiro que tudo: que saudades, minha gente!
Peço desculpa pelo desaparecimento, mas o trabalho não me tem deixado respirar.
Resultado, nada de e-mail e, consequentemente, nada de blogue para ninguém...

Pois bem, volto para vocês com uma nova rubrica: As pérolas da minha estagiária - também conhecida por A., a bonitinha.
Começo por dizer que é simpática, muito faladora, animada e prestável.
Agora... foi a primeira a descobrir que faço parte do grupo de pessoas descrito no videozinho abaixo:



E só por isso - e pela frase que está lá para o finalzinho, vai perder um valor na nota final!
Rai's part'a miuda, pá!

16 February, 2011

É, era, será... um destes.
A qualquer hora.

[E é capicua e tuditudi.]

15 February, 2011

Reúnes tudo num só lugar e inspiras(te) calma.


Aaaai que hoje está a ser dia de tanto suspiro... e todos diferentes!

14 February, 2011

Alguém me consegue explicar porque que é que o meu próprio blogue resolveu começar a fazer publicidade aos Minis?
Não, querido, eu também não quero ouvir desculpas...
Será alguma indirecta?
Alguma mensagem [irónica] do Universo?

Eu sei que são carros cool, até para o carito e muito british.
Mas Mini? Já não chega Micra?
Voltem promoções ao Sushi e aos sapatinhos, estão perdoados!

[Deixa lá Prince!
We 1,48m people rule!
Somos grandes... pessoas!]
Já recebi a minha prenda do dia de S. Valentim.
Um coração de peluche, bem piroso, que atira beijinhos e grita um audível I love you.
Das mãos do meu Guica, de 5 anos, que... conta a história, quando o viu, pediu à mãe, minha irmã, para o comprar para mim.
Resultado: izzie bem lamechas, a esforçar-se para não ter lágrima no canto do olho. Mas muito orgulhosa e, apesar de ter acordado ansiosa e nervosa [este emprego um dia mata-me...], de coração mais quentinho. O meu menino vai mesmo ser um lady killer e começa logo por mim.

Ainda Sábado conversava com a S. sobre o nervoso miudinho que este dia me causa. A comercialização do sentimento, a quasi obrigação. A consequente falsidade.
Relembrava como sempre que, inconscientemente, o celebrei, foi à minha maneira. Com brincadeiras, com sítios diferentes, com anti-dia.

É verdade, eu tenho dificuldades em ser delicodoce.
Sinto e sonho muito, mas amo tanto de tantas maneiras, tanta gente diferente, que o Amor romântico, de mãos dadas e lembrancinhas e olhos a piscar, para mim, tem que vir com o tempo e é para ser meu, primeiro, cá dentro.
Por isso já fiz centenas de quilómetros e procurei os lugares mais escondidos para beijar uma testa e para que me beijassem a mão.
Por isso já me deixei ficar sentada ao frio, no escuro da madrugada, em frente a uma esquadra de polícia, a testar-me e a ler o brilho nos olhos de outrem.
Por isso me sinto mais cativada quando me deixam ser e estar, sem necessidade de todos os toques mas só dos que realmente fazem a diferença.
Por isso é que, quando o B Fachada canta, É bom ser teu amigo, mas igualmente bom ser teu amante, eu o percebo e é com isso que eu sonho, é por isso que suspiro.

Porque descobri que há mais 7% de pessoas que têm vivido o Amor como eu.
Que é normal que, por significar tanto, assuste e demore até deixar de viver em sobressalto.

Porque o Amor é uma Luz escura.
Rui Zink

12 February, 2011

Aos subjects dos nossos e-mails ;)

[Há que rir, right?]

11 February, 2011

Hoje, estou doentinha - fanhosa, ranhenta e a falar pelo naguiz.
Hoje, começam-se a notar os efeitos secundários dos tratamentos na minha mãe - cheira-me que isto vai ser difícil. Who was I kidding?
Hoje, está sol e ando a passear uma echarpe nova.
Hoje, é 6ª feira.
Hoje, celebro os meus 150 seguidores... embora duvide que o/a n.º 150 perceba alguma coisa do que escrevo.
Hoje, venho aqui partilhar duas descobertas: um excerto do livro que estou a ler e que me roubou o coração; e uma fotografia da Susana, na minha adorada Sintra, que faz todo o sentido para e em mim.

Ele escancarou a janela e da cama via-se o céu de nuvens brancas, muito delgadas.
Tu és da cor do céu, já viste? - e apontou com o dedo na direcção correcta.
Eu alimento-me de nuvens, porque na realidade não sou uma pessoa, sou um anjo - disse ela com ironia triste.

As cordas, Fátima Pombo

Bom fim-de-semana, com direito a tudo, sim?

08 February, 2011

Ora, não querendo transformar isto num diário de tratamentos, informo só que o 1º dia correu muito bem.
A minha mãe reagiu maravilhosamente, com o astral em cima, e ao final da noite, veio ao meu quarto, como as crianças, quando são pequeninas e aprendem algo novo, confessar-me, de sorriso ansioso: depois de hoje, acho que me curo. Acho que hoje, matei o rabo do bichinho.

Eu pus a minha máscara de sabichona pouco sensível e acenei. Hoje escrevo isto de lágrimas nos olhos - sim, sou um coração de manteiga, muito bem escondido no frigorífico.

Quanto às coincidências... sabe bem sentir-me apoiada, reconhecida. Saber que a minha mente e o meu dom têm poder e que as coisas acontecem - e não são só as más.
Saber que tenho quem vá estando ao meu lado, mesmo que eu não precise de 24 horas de presença.

Há quem me faça sorrir e acreditar - inclusivamente, em mim.

Obrigada pelo dia bom ontem e pelos doces que já tenho recebido hoje.

07 February, 2011

Volto do fim-de-semana, mais re-centrada.
Comecei relaxada na caminha, com um DVD muito bom e batatas fritas, Notes on a scandall, um Amo-te Teresa com um toque feminino, obsessivo, maquiavélico, e muito, muito british. Me likes.

Sábado prossegui para uma tarde de beleza, preparativo dum jantar e uma noite tão bons. Boa comida, boa companhia. Um gelado de framboesa e limão que fez sorrir, futebol, conversa e aconchego. Sabem aquelas noites em que não é preciso nada demais para correr tudo bem? Ora, lá está. E para finalizar a noite, parei à porta de casa, respirei fundo e olhei para as estrelas.

Domingo, pintei as unhas de vermelho-fogo... que nunca pensei ser a minha cor, mas suits you Sir!... e levei a minha pessoa a conhecer o meu cantinho. Bonito, lá no alto, rodeado de tudo e perto de casa, diz ela.

Hoje, a mãe começou a quimio e a radioterapia. Os médicos não são coincidentes quanto ao estado da doença, eu fiquei de coração nas mãos, mas ela parece estar a aguentar-se - se esquecermos as dores e o desconforto do cateter. Vamos a ver a partir de hoje... os efeitos secundários e a mudança de ritmos lá em casa.
Hoje é dia de coincidências e de sentir o passado morder-me o rabo - o engraçado é que nem "doí", sinto é pela dele, do Passado, tipo, aqueles pinchers anões que se esperneiam todos, fazem muito barulho, mas que ficam por aí?...
Por aqui, a chefe quer peguilhar.
Mas eu por cá continuo com as unhas cor de vermelho-fogo.
Esta rubrica surge da necessidade de renovação e intensificação do espírito de unidade e imaginação da blogosfera e pretende que cada um dos bloguistas seleccionados seja autor de um parágrafo de um texto realizado em conjunto por vinte bloguistas.

Assim, passaremos a enunciar as seguintes regras:

Regras da Rubrica "Acrescenta-me um ponto!":

1 - O texto, constituído por vinte parágrafos, terá início no blogue "O Sabor da Palavra" (http://osabordapalavra.blogspot.com), segundo o seu autor Gonçalo Cardoso.

2 - Cada bloguista terá direito a um parágrafo do texto com o máximo de cinco linhas.
3 - Após a realização do parágrafo respectivo, cada bloguista terá que seleccionar outro bloguista que cumpra a continuidade do texto, segundo as regras mencionadas.

4 - Cada bloguista terá o limite máximo de três dias para realização do parágrafo, estando sujeito a desclassificação da rubrica e seleccção de novo bloguista por parte do seu autor.

5 - Cada bloguista assinará o seu nome e respectivo blogue na lista dos participantes.

6 - O último participante ou autor do vigésimo parágrafo, finalizará o texto e partilhará com o autor do blogue "O Sabor da Palavra" para a sua divulgação no blogue inicial.

7 - Sejam criativos.






E tudo começa assim...


"Ao fundo ouvia-se o barulho dos pescadores na lota de Aveiro . Mais perto a maresia de Agosto percorria o nosso rosto e o teu sorriso revelava o reflexo da luz solar sobre o mar. A areia fina e molhada envolvia os nossos pés e, de frente um para o outro, estendias-me a mão salgada e preparavas-te para a mais doce revelação..."

´"Pensava, enquando o Sol se punha diante dos nossos olhos... Quão bela é profundidade de um sonho?! Tiveste medo. Não te revelaste. Mais uma vez, o tempo esvaía-se nas pegadas que se apagam. Tal sangue, tal sofrimento. Larguei-te a mão e prometi a mim mesma que nunca mais ficaria à espera. Chamaste por mim...."

É sempre complicado quando a vida já é muita e as histórias pesam em vez de preencher... Mas o teu olhar preenchia-me como os fados cantados em noites sobrenaturais e eternas, e a tua boca queria falar, queria dizer, queria murmurar... Diz, pedi eu, diz...



Olhas-me nos olhos e acaricias-me as covinhas. Invade-me uma sensação de calor. Pousas os teus lábios nos meus sem dizer nada. A doçura faz-me esquecer, por um instante, as resoluções. O meu coração dispara, desata aos pulos em silêncio. Levas a mão ao bolso e retiras uma pequena caixa.
- Não posso aceitar um presente teu - digo-te baixinho. - Lamento muito. Não tornes as coisas ainda mais complicadas.

Ele segura-lhe na mão e eleva-a para junto da sua de modo a tocar na caixinha que ele trouxe para lhe oferecer. Nisto ela fica apreensiva, olhando para a sua mão e retomando o olhar para ele uma vez mais, mas desta com uma expressão de dúvida e angustia. Ele já conhecia bem esta expressão e retomava-lhe um olhar de confiança e de uma ternura irresistível, à qual ela não poderia recusar...


"No entanto olhando bem fundo dos seus olhos ela recusou ao mesmo tempo que delicadamente pousava um beijo na sua face. Saiu dali a correr as lágrimas correndo livremente pelo seu rosto. E ele ali ficou sentado, segurando a caixinha nas mãos. Olhou o mar mais apelativo do que nunca e pensou " E porque não?" ao mesmo tempo que se levantava em direcção às ondas que o convidavam a entrar."

A fuga é sempre mais fácil. O sonho por realizar. O "se" que nos marca e tanto nos impede, como nos impele a agir. E se desta vez abrisse a caixa de Pandora? E se lá dentro estiver a felicidade? A luz momentânea do Sol ou o correr entre a areia e a vagas do mar?
Abdico das lágrimas. Respiro fundo...


Lista de Participantes:

1 - Gonçalo Cardoso (O Sabor da Palavra)

2 - Eli (O Amor Acontece?) Dantes "Isso Agora... :)" ou "Eu Sou Nómada"!...

3 - Ana (Construir... Sorrindo)

4 - Myosotis (http://amyosotis.blogspot.com/)

5 - Fatinha (http://paraladaslentes.blogspot.com/)

6 - Poetic Girl (http://justme-cutepoeticgirl.blogspot.com/)

7 - izzie (http://odeapensamentosperdidos.blogspot.com) [Peço desculpa pela demora. Rosnem à chefe...]

8 -

9 -

10 -

11 -

12 -

13 -

14 -

15 -

16 -

17 -

18 -

19 -

20 -
Passo o desafio à Susana...

04 February, 2011

Hoje a blogosfera está bonita, cor-de-rosa, apaixonada.
Relaxada, cheia de bons sentimentos, afinal é 6ª feira e todos sorrimos.
Há quem tenha boas notícias, quem partilhe emoções, e vendo bem já sorri muito com isso nestes 55 minutos de hoje.

Mas cá eu estou irritada.
O local de trabalho só me faz soltar um oh! de solidão e saudade.
Hoje é dia da mãe por o cateter, porque 2ª feira a nossa vida muda.
O Guica hoje acordou tarde e só me deu um beijo ensonado.
Queria já poder fugir para o meu cantinho ou correr para uma noite com amigos, mas não posso. Já vai chegar o estômago embrulhado ao chegar a casa - hoje, a rotina de voltar a casa e estar com a família assusta-me, pesa-me quase como uma obrigação..

Ao fim e ao cabo o que eu queria mesmo era um abraço, daqueles sem tempo. E comer gomas e crepes com chá. E andar a passear nas ruas em vez de estar aqui a olhar pela janela.

Mas 'bora lá sorrir. É 6ª feira. Hoje posso suspirar de alivio às 19 horas. Amanhã posso dormir até mais tarde. E alindar-me para jantar fora, sei lá se não me cruzo com o "homem-com-barba-de-3-dias" dos meus sonhos? Domingo cheira-me a passeata para abastecer o carro - sim, sou mesmo gaja, só lhe dou atenção quando ele está nas últimas.

In fact, no big plans, are plans.

03 February, 2011

Sim, passei os 15 minutos da viagem de volta a casa a agradecer à Rádio Comercial, pelos bilhetes para a ante-estreia - melhor do que isso, só mesmo oferecerem-me o Vasco Palmeirim na tal caixinha. Não, não me esqueci...

Ora... com a minha pessoa, pipoquinhas prontas e uma Senhora ao nosso lado que devia ser contratada para ser a companhia de TODA a gente no cinema (Sr.ª das gargalhadas e das piadas, you rock!) refastelamo-nos na bela cadeira - sendo que não chegamos com os pés ao chão, mas isso são detalhes...
Depois de alguns percalços com o som e a dobragem (sim, leram bem, os primeiros 10 minutos do filme passaram-se em Alemão - aaah! Que saudades!...) o filme "arrancou", a bem dizer, para as duas horas mais magistrais da minha vida, nos últimos tempos.

A Natália está perfeita, como sempre. A mescla no ponto certo de medo, obsessão, perfeição e ansiedade. O corpo, as expressões, a voz, tudo trabalhado à perfeição de ficar com o estômago colado às costas e me apetecer saltar para dentro da tela a dar conselhos à bailarina, sobre como levar a sua vidinha.
Todas as outras personagens conferem (muito) mais que a carga necessária, a banda sonora aumenta a intensidade de momentos que, nas mãos de outros profissionais teriam passado por "naturais" da situação. A sensualidade do coreografo fez-me lembrar alguém, fez...

A metáfora que o filme representa, a verdade dos traumas psiquiátricos (porque a carga emocional ultrapassa o chavão "trauma psicológico"), os sintomas psicossomáticos são verdade (os últimos posso comprovar) e vivem no respirar do Cisne Negro durante todos aqueles minutos.

Nota-se muito que aconselho a ver? Pois... claro!
Mas bem calmos, preparados e de preferência, se forem pouco impressionáveis.

De resto, só acrescento que:
1- Se a Natália não ganhar o Óscar este ano, algo está rotten no reino de Hollywood;
2 - Mal possa, compro esta maravilha em DVD para ver ao meu ritmo, e não sentir que me despejaram 53.489 toneladas de emoções e sentimentos em cima dos ombros.
[Brinco, brinco, mas não imaginam como este filme me tocou e afectou... ainda tremo ao pensar, ainda tenho imagens a desfilar-me perante os olhos...]

Agora inde, correinde para o cinema mais próximo.

02 February, 2011

Há que gostar das pequenas coisas da vida...
Apesar de tudo, não deixei de gostar de andar às cavalitas.
E não há nada de mal num homem pegar em nós ao colo ou tirar-nos os pés do chão com um abraço.
[Estás a ouvir Mr. Gongas?]

Just enjoy the little things in live... like me :)

01 February, 2011

We're feelling good!

Ontem ganhei dois bilhetes para uma ante-estreia a que vou com a minha pessoa.

Dei gargalhadas ao telefone e senti um amigo feliz por fazer parte da minha vida.

Hoje o meu Guica piscou-me o olho (eu adoro o meu little lady killer) e vimos a "Ovelha Choné" antes de eu sair de casa a correr - assumo, eu vibro com estes bonecos ainda mais que ele...

Tive a manhã mais produtiva das últimas semanas e vou ter uma tarde de entrevistas - a ver se vislumbro a minha próxima estagiária...

E pronto, vou voltar ao trabalho, por entre as gargalhadas com a Carrla.
 
Copyright (c) 2010 Unleash your thoughts.... Design by Wordpress Themes.

Themes Lovers, Download Blogger Templates And Blogger Templates.