29 January, 2010

... a day makes? 24 little hours...

Este foi um dia para "esquecer". Porque todo ele foi feito de recordar.
Rever. Reler. Repensar.
Tanta repetição quando já nada é igual.

Estou de novo no momento em que caí de joelhos e me quero levantar. Porque levanto sempre. Nem que seja por 5 minutos, todos eles periclitantes.

Vou viajar hoje. Por entre a noite. Imagino muito, mas não conheço ninguém. Por isso faço por sorrir.
Quero cinema. E jantares. E encontros. E visitas de quem já faz parte dos meus dias.
Mas acima de tudo quero ajuda.
Alguém me ajuda a gritar? Alguém me empresta o ombro e age tal qual como o Enfant "pede"?
Quem me traz de volta (porque me sinto mais eu, hoje pude ver que sou eu)? Quem te traz de volta?
Fico feliz por todos. Até porque há quem mereça.
Mas pergunto: E o meu? Os meus? Para quando? Inveja, not nice. I know...

Se eu escrever aqui. Como tu dizes fazer nas paredes do teu quarto... se eu exposer aqui. Fará diferença?
Ao menos sei que os limites vão cedendo. São diferentes de "vez" para "vez". E agora ouvia a tua voz na minha cabeça a avisar-me: Mas todos temos limites.

E a dor de cabeça que não me larga?
É impressão minha... ou isto é tudo um ciclo (vicioso?)
As mesmas caras, caminhos diferentes, que levam às mesmas pessoas?
Largo (ou penso que largo...) uns para a seguir me cruzar com outros... e, voilá (devo andar com a mania que sou francesa), lá estou de novo na "toca".
É impressão minha... ou acordamos-te os fantasmas
Coitadinho... NOT!
Sofre, relembra... não exorcices... que gosto de te ver em pânico. Gosto, aprendi a gostar.
Porque um dia hei-de fazer o telefonema. Mesmo que seja para encolheres os ombros e sorrires de desprezo.
A vitória será minha.
Quero que a sombra tome conta da tua mente nem que por um nanosegundo, por um motivo real: eu! Sofre.

E eu que desde ontem pensava vir aqui fazer o meu primeiro post fútil?... Ainda não é desta...
Bem... vou "entregar-me" à bebida, ao fumo, aos desconhecidos e à loucura. A ver se retorno mais sã.
EDIT: Escrito um ano depois de ter destilado (praticamente) os mesmos sentimentos por outra pessoínha.
E nem tinha reparado no pormenor... mas há momentos em que realmente somos "empurrados" para um sítio qualquer...
Sabes que mais? Vejo agora que dei mais, tão mais que tu.
Porque fui verdadeira.
Não me arrependo, mas também já não me culpo.

28 January, 2010

Há muito tempo que não me acontecia isto.

Depois de meses, confesso até que deixei de olhar com atenção... Osho has done it again.

Está tudo dito no pensamento de hoje: O fugidio e o vibrante.
Está claro quem ocupa qual papel aqui, right?
Pois...

Mas, lá está, continuo a achar que vou fazendo a minha parte.

Enquanto a minha cabeça já vive no amanhã. Fim-de-semana de novidade e liberdade. (Já tinha saudades de fazer a mala...)

26 January, 2010

Hoje estou tal e qual aquelas personagens dos filmes.

Uma menina muito linda (porque tenho que ir receber convidados para a Exponor e está lá o "Pão de Açucar", upa, upa!) com um anjinho num ombro a (tentar) acalmar e um diabinho no outro (a rir baixinho e ironicamente).

Dividida entre o que quero e não tenho.
Entre a espera por algo que sei que é bom, mas que teima em tardar.
Entre o sair batendo a porta (sabendo que um dia teria - terei? - que sorrir como se nada fosse) e o desistir, que nestes casos detesto e nunca me acho capaz.

Hoje li dois textos... e apenas me apeteceu enviar-tos porque assim não havia mais explicações a dar. [Voltei à época em que "te" revejo nos detalhes e me apetece partilhar coisas para as quais, normalmente, nem olharia duas vezes...]
Hoje pedi um beijo e não o recebi.

Mas sei que a culpa não é minha.
Desta vez não vou olhar para trás e martirizar-me pelo que não fiz. Porque dou por mim a lutar. A dar-te mais uma oportunidade quando nem eu sabia que o ia fazer (a sério!).

Como desta vez a culpa não é minha... vou-me sentar, à espera. À espera que os níveis subam de novo. À espera que tu "retornes" (onde estamos nós? Os dois daquelas noites?). À espera da novidade. À espera do retorno e do karma.

21 January, 2010

At some point, maybe we accept that the dream has become a nightmare.
We tell ourselves that the reality is better.
We convince ourselves that it's better that we never dream at all.
But the strongest of us, the most determined of us, we hold on to the dream.

Or, we find ourselves faced with a fresh dream we never considered.
We awake to find ourselves... against all odds... feeling hopeful.
And if we're lucky... we realize, in the face of everything, in the face of life... the true dream... is being able to dream, at all.
S3.22

Eu sou, por norma, uma thinker.
Mas também sou muito ligada a datas... o que ainda me faz pensar mais, relembrar nostalgicamente. O dia de ontem e o de hoje estão-me marcados. Para o bem (porque até há vitórias) e para o mal (aqueles dias em que o cinzento teima em esconder o Sol).
Numa pesquisa encontrei estas palavras que resumem tão bem os altos e baixos porque passo tantas vezes e que acabam por ser a "cereja no topo" do meu incoerente "bolo". [You wouldn't like it any other way, would you now?]

É verdade que só comecei a tomar mais atenção ao meu mundo há um ano atrás, porque tive quem, mesmo que falsamente, olhasse para ele e me fizesse ver.
Mas acredito que nestas palavras reside a essência de todo o crescimento e experiências da vida.
Por isso: let's be able to dream.

20 January, 2010

Today I'm not here.

Consider this place a cozy little house with the front door wide open.
Feel free to come on right in.
Feel free to feel, taste, smell and look around. To the deepest detail, to the tiniest significance.

Today I'm not here.
As today I have no place to be.

Today I'm not here.
I've opened the door to the room and the leaves are wondering in with the wind.

Today I'm not here.
I'm there, everywhere.
Crying.
Mourning the little girl I'm no more.

The plather of things that came my way. Mine, then ours, but never yours.
All this time later. I cry the life I've lived.

Today I'm not here.
Thank(s to) you.
- - -

Parabéns Jorginho.

19 January, 2010


Ela: Estás leve.
Eu: Leve?
Ela: Sinto-te mais leve...
Eu: Pois... Já estive, já deixei de estar. Agora estou no limbo.
Ela: Mas estás mais leve. E vais voltar a estar. Vai correr tudo bem. Eu sinto que vais ficar bem.

Sabem aquelas pessoas que fazem parte da nossa vida há anos?
Que estão tanto nos momentos mais marcantes como nos que mais marcam?
Que são tão parte da memória que já nem memórias são até fazermos uma check-list dos últimos tempos e vermos que, consciente ou incoscientemente, fizeram e fazem parte de tudo?

Esta conversa foi tida com uma dessas pessoas.
Com quem passam os anos, e as experiências, e ainda é capaz de me siderar com "saídas" destas...
Desde ontem que esta conversa... que parecia ser só mais uma, não me sai da cabeça.
[Mal sabes tu...]

Quero tanto... tanto esta leveza que procuro... que os outros já vislumbram em mim.

18 January, 2010

Nos últimos dias tenho vindo aqui para escrever. Mas não consigo.
Confrontada com provas de amizade inesperadas, com carinho, sorrisos e compreensão.
Mergulhada na confusão, nas lágrimas que não brotam, na falta de Força, na "solidão", na irritação, no querer dar um murro na mesa...
Chego aqui e encontro belíssimas formas em que as minhas palavras e sentimentos já foram ditas por outros... e simplesmente não as posso trazer para aqui.

Estou num loop.
A cair numa descrença, num descrédito. E não quero. Não quero!

Fico tão feliz com as surpresas... com as lembranças. Com as novidades, as novas hipóteses.
Mas não consigo deixar de me questionar. De pensar o pior. De deixar o pequenino medo instalar-se.
Começo a ficar farta...

Banhada em Amor, em Sonhos, em vontades. Luto, perco(-me), levanto-me.
Acredito, envolvo-me em dilemas. Imagino, visualizo. Testo-me, apercebo-me...
Mordo os lábios, sento-me em cima das mãos.
As horas passam com tanto para fazer.
Sinto a areia a escapar-me na ampulheta... com medo que os meus desejos fiquem vazios também.

É verdade, estou irritada!

14 January, 2010

Enquanto aprendo, des-aprendo... penso, luto e deserpero.
Volto a mim.

A sonhar, a recordar, a analisar... até à próxima oportunidade. Porque ela vai chegar!

Carpe Diem. Foi mais que fusão de sabores e cheiros. Foi mais que começar outra caminhada no lugar de sempre. Foi mais que abrir-te as minhas portas e sorrir, sorrir tanto!
Foi um aviso, uma prenda do universo. Mais uma vez a ironia da vida, o sarcasmo e o inesperado funcionaram a meu favor, a nosso proveito.
E eu que não deixo de acreditar em sinais...

E chegar a casa e pensar: "Se fosse há 7 dias, viam-nos."
E sorrir, como sorrio porque as memórias são doces.

Carpe diem, carpe diem... como tento e aproveitarei mais, se me deixares...

13 January, 2010

Chorar.
Aninhada nos teus braços. Receber miminhos e ouvir as palavras que só tu sabes dizer. Um bocadinho de Luz, de discernimento, de Paz.

Quero retornar a 6ª de Madrugada, a Sábado de manhã.

Eu não fui feita para isto.
Quero falar. Perguntar. Resolver.
Mas também quero respeitar.

Dá-me o teu abraço. Preciso de ti.

Há aí miminhos e energia positiva que possam oferecer? Força e paciência? Lembrem-se de mim...

12 January, 2010

One day you'll see your effect on me.
One day you'll see this is what we both needed to know.

Because all that great information had to come - out of an unexpected place - with an intented reason. Just when I was begining to doubt.

Night is falling. Remember?...

I can see you. I can feel us.
And you will reply back.
Let it be today.

As, one day... you'll see how impacient I am.

... que recomeça hoje.
Se não me faltar a coragem. Se não me faltar o fogo. Se não me fugires.
Não vês que o susto faz parte dos dois?

Como vai ser? Se sim, é verdade que pedacinhos de mim morreram ontem para mantar a promessa?
Juras que os resuscitas hoje?...

Fonte: shiuuuu

11 January, 2010

Ora a queridíssima Gaja lançou-me mais um desafio... e este tão tão tão próprio do meu cantinho que até sorri com a coincidência...

Os 10 pensamentos que não me saiem da cabeça. Ora vamos lá:

1 - Tão óbivo que nem nomeio. Sorrio, vizualizo, chamo. [Porque o que acontece duas vezes está destinado a acontecer três, diz a sabedoria popular. E mais, e mais, e mais...]
2 - A minha Móninha. A minha pessoa, a outra parte de mim. Sempre na mente, sempre no coração.
3 - As saudades e a força de outros dias, outros locais, outras pessoas. Por exemplo: 2007, o meu avô, Sintra.
4 - O Seminário de 25 de Janeiro na Exponor. Já tinha saudades de fazer parte de algo com nome e que pode vir a ajudar muito boa gentinha. Vou nas 20 inscrições alone... quem dá mais?
5 - As músicas, as séries, os filmes e os sítios que ainda quero visitar. Porque, de repente parece que acordei para a vida. E voltei a ter vontade de viver com os outros e para os outros.
6 - Os amigos. A J., a M. , a L., o E., a S. Todos os que me fazem sentir bem e que gostava de poder fazer mais para ajudar... porque merecem e precisam.
7 - A "falta" que a Fatucha me fez ontem. Sei que haverias de ter adorado amiga... e pedi, do fundo do coração, que os nossos Anjos se conectassem.
8 - A neve ontem de manhã. Linda, inesperada, minha. Por minutos esqueci-me que estava na rua, seguida da minha mãe. O mundo deixou de existir e eu só via, e sentia os pequenos flocos de neve na cara e no corpo. E sorria, sorria...
9 - O retiro no fim do mês. Mal posso esperar pela viagem (que saudades do expresso!). Pelas pessoas, pela música, pela alegria. E por abraçar a Tita... que ela merece.
10 - A próxima vez... de tudo, de todos. Não pela expectativa. Mas porque abri os braços e sinto que já não sou só Passado, que não faz mal olhar um bocadinho para o Futuro também.

Agora... tenho que passar a outros 10 pensadores...
Fatucha
Tita
Li
Saga
Sávio (quando voltares)
Max
Eva (pensas tanto como eu)
Annunciata
Pinguim
João

Vá... quero ler essas mentes :)

08 January, 2010

These last few weeks have been soooo full of surprises that... today, on a slower day... I find myself missing them.
We can't be surprised all the time, can we? Or it will lose its special flavour...

But it has been a day full of coincidences like it's the 8th of January ( Parabéns J. e N.) and it's the 8,888th day of my life.
I called my best friend who was holding the phone on her hand to call me.
I got to cheer up a friend that passed most of the last months cheering me up.
And everytime a not so smiley thought comes into my mind I'm albe to shush it away...

So... it may not be a day full of surprises... but I feel that will end up being a good day.

As tomorrow I'm gonna hug my person for the first time in weeks and hold her tight with all my love.
As tomorrow a good friend will board on a trip that can change lifes...
As tomorrow smiles and surprises can happen again.

And what's tomorrow? The day after today, a normal, calm day.

07 January, 2010

Comecei a escrever. Em inglês. E quando dei conta, o dedo indicador carregava forte na tecla do delete e todas as letrinhas dessapareciam. Wierd...
Sim hoje estou hazed. Bem... mas confusa. A querer fazer mil coisas. A sonhar outras mil. À espera de tudo. A querer ser ainda mais etérea para me poder dividir e ser tudo o que todos precisam para estarem bem.

Estou gelada por fora. Mas sempre um bocadinho mais quente no coração, porque ultimamente, cada vez menos me esqueço de agradecer.

Dar-te a mão e estar aí quando mais um pedacinho do teu coração partiu.
Querer lembrar-te para não te esqueceres, e ganhares coragem.
Querer sorrir e abraçar-te pelos sorrisos, carinho e amizade fresca como o orvalho.

E tudo isto a pessoas diferentes.

Sim, há poucas pessoas na minha vida. Porque muitas foram postas fora - eram elas ou eu. Mas sinto que, mais e mais, está quem conta. Triagem...

E não é que hoje a minha imagem mental se resume a pétalas?
Caídas no chão, caminhos de cor... em que me apetece saltar, como tu saltaste pocinhas, feito criança.

06 January, 2010

Pois é... a Gaja com G maiúsculo quer saber (queres mesmo?...) e eu, como já não fazia isto há muuuuito tempo... achei piada e cá vai disto.

5 manias:

I - Tenho a maniar de refilar, criticar, avaliar um bocadinho de tudo. Desde a roupa dos pivots dos telejornais à musiquinha lamechas que escolheram para a novela naquele preciso momento. Mas tal não me basta! Não... falo como se conhecesse profundamente quem estou a "criticar construtivamente"... quando, na maioria, nunca vi mais gordos;
II - Tenho a mania de comer na cama (isto vai para quem me perguntou esta semana que mais faço eu bem na cama...) [Ah pois é, meu doce.] Comer! Adoro... doces, bolachas, snacks... a ver um bom filme no DVD, ou série daquelas que me vicia... é só ouvir o som do mastigar...;
III - Tenho a mania de enfiar uma palavrita em inglês ou outra no meio das conversas assim... tipo, de 5 em 5 minutos. E se tal não acontece... é muito mau sinal! ;
IV - Tenho a mania dos chás. Frutados, intensos, cheirosos (olha... parece que estou a descrever um homem...). Que me façam sonhar e viajar. Cheios de cor. Quentinhos e reconfortantes, tomados na melhor presença possível;
V - Para finalizar uma mania beeeeem fútil: tenho a mania dos brincos. Sim, isto já nem é vício. Como até aos 18 estive impedida de usar tudo o que não fosse ouro... passei os últimos anos a recuperar o tempo perdido. Tenho cerca de 50 pares de brincos. Posso estar meses sem comprar um par, mas depois compro em atacado, tipo Dezembro em que comprei 6 pares de brincos. E chamo a isto mania porquê? Porque levo a mal quem me diz que já são de mais, porque intimamente culpo quem me faz perder algum... porque já fazem tão parte da minha vida que, se me virem sem uns... considerem isso o meu humor-ómetro: vem aí tempestade!

Ora... agora... eu devia copiar aqui as regras... mas o Vista não me deixa... logo, resumo-as: vou escolher 5 pessoas do mais amoroso que há para me indicarem as suas 5 "desgraças" e eles serão uns amores... e farão exactamente o mesmo que eu.
- Li ;
- Tita;
- Saga;
- Eva;
- Mau Feitio.

05 January, 2010


Sorriso timido. Parede vibrante.
Um lugar habitual tornado novo. Mistura de cheiros em trago de amendoa.
Encontros mais que desencontros. Surpresa pelo sorriso, quase certa de ti.
Toque frio... quando quero mais. Mas não quero correr.
O olhar de quem não queria ir embora... seria só eu?

Que todas as noites se transformem no anoitecer de ontem... que na minha mente permaneça o rosa escuro ladeado da noite em frente à janela aberta.

Dá-me mais...


* Ao menos trago o título ;)

04 January, 2010



Even if you're not "drawed" as they say. They're not such great artists, you know? Shiuuu, don't let them know... Surprise me!
Either way... fine by me. As longs as our paths meet.
I've liked you from the start.
Por uma tarde voltamos todos 9 anos atrás (foi regredir a olhar para a frente). E foi óptimo... se bem que, pelo Amor que te temos, também não foi fácil.
Mas estás nos 25 anos amiga e nós, mesmo com a vida que tanto quiseste negar, queremos-te da mesma forma!

As fotos, os detalhes, os sorrisos, o muito cor-de-rosa... e as coisinhas boas (Trivial que saudades!!!), o comer a tarde toda, o ser um bocadinho fútil. É necessário. E bom. E óptimo de fazer na vossa presença.

Depois... sair para a noite. Falar, falar, falar, ouvir, ouvir muito. Avaliar. Doer de querer parar o "filme" e fazer melhor.
O carro fechado. Os vidros embaciados.
Decisões, confissões e aceitações.

Falar de ti e ver o quanto sinto. O quanto sonho ma(i)s o quanto receio. O franzir os lábios porque a frase vai ecoar ainda muito na minha mente. Mas agradeço-te, vês?
Mas o querer sorrir mais, arriscar. Dar-te para me retribuires. Da maneira e pela razão que anseio.
Vejo-nos lá. Sorriso e conversa. Mais encantamento. Mais, mais.
Quase consigo sentir o cheiro do chá no ar... as cores das folhas, das paredes no teu olhar travesso e intenso.
 
Copyright (c) 2010 Unleash your thoughts.... Design by Wordpress Themes.

Themes Lovers, Download Blogger Templates And Blogger Templates.