26 March, 2011

Sobre o fim deste capítulo na minha vida.
Da minha rebeldia e do meu sofrimento.
De não saber o que há amanhã.
A Casa é um lugar finito na minha vida.

 Tira a mão do queixo não penses mais nisso
O que lá vai já deu o que tinha a dar
Quem ganhou ganhou e usou-se disso
Quem perdeu há-de ter mais cartas pra dar
 [...]
Chega a onde tu quiseres
Mas goza bem a tua rota
[...]
Enquanto houver estrada pra andar
A gente vai continuar
Enquanto houver estrada pra andar
Enquanto houver ventos e mar
A gente não vai parar
Enquanto houver ventos e mar

Jorge Palma - A Gente vai continuar
Ficam as memórias, os dias, os recantos e os laços que tive que cortar.

24 March, 2011

22 March, 2011

21 March, 2011

The latest one, depois da visita de um jóve com um aspecto, digamos... feminino:

A. - Aquele florzinha que cá veio ficou deslumbrado, quando te viu a escrever: "Canhota! UAU! Fantástico!"
izzie - Claro! Ainda não tinhas percebido que tudo o que é homem fica fascinado por mim?
A. - Mas então ele ficou fascinado à 2ª visita. Porque à 1ª tu ofuscaste...
Carrla - Mas vocês não viram que ele fez isso tudo para piscar o olho ao outro estagiário?

[E agora estamos p'aqui às gargalhas...]
Este fim-de-semana estive acompanhada todos os dias.
Acordei com o Sol quentinho, fui ver a maior Lua das últimas décadas.
Comi pizza fria, bebi uma Guiness, provei um novo chá.
Falei das mudanças, do trabalho, dos outros.
Vi os diferentes brilhos nos olhos, medi as minhas expectativas.

Não sei é por ser Março, não sei se por estar nos meus 4 dias mais difíceis do ano... mas percebi, que por mais voltas que a minha vida tenha dado nos últimos 2 anos... tenho saudades de estar verdadeiramente apaixonada.
A Paixão sem limites, sem medos, a querer falar nisso e mostrar. A tomar atitudes, a puxar a corda, a descobrir.

Já percebi que tenho propensão para viver situações menos fáceis, when it comes to Love. Até as olho como experiências, testes e tudo o mais.
Não tinha percebido é que isso, toda a confusão, me está a afastar daquela boa loucura insana, que é a Paixão.

O pior de tudo?
É que já nem posso culpar alguém.
Acho que já se tornou "defeito de feitio".

Volta Paixão, estás a-perdoada... [e não, não me é fácil admitir isto. Nem bonito...]

18 March, 2011

Depois de me cruzar com o título muito "p'ó sugestivo" deste post e de o ter lido em voz alta no Gabinete - muito escandalizada... embora a sugestão seja gira... - começa a Carrla a cantar:

Tou fazendo amor
Com outra pessoa...
Ao que eu completo:
Porque apaguei a luz
E afinal não era você...

Fica aqui o original para cantarem todos em uníssono!

Bom fim-de-semana, com Luz ou sem ela!

17 March, 2011

Nas últimas noites tenho sonhado com pessoas que já saíram da minha vida.
Porque calhou, porque nos cortaram os laços, porque eu as pus fora.
Sonho com elas no "antigo papel", sonho com elas diferentes, sonho comigo sempre a ser simpática, a sorrir e a mostrar a saudade que sinto - no fundinho.

Todos os dias acordo a contar menos um dia no meu calendário, como os presidiários.
Quase todos os dias acordo a desejar estar noutra fase da minha vida, que, geralmente, já passou.

Acho que o meu cérebro ficou de tal forma afectado pelos últimos 9 meses da minha vida que as fronteiras, os limites e os objectivos perderam a forma.
Aceito a partida das pessoas, agradeço a sua presença, mas fico de mão estendida à sua sombra. E só a dormir o meu inconsciente me mostra isso.
It's all a blurry mess.

16 March, 2011

Estava eu ontem no meu momento zen da semana - tirei a tarde e acabei a noite a ver Grey's Anatomy acompanhada de uns bons snacks - quando eles passam a apresentar a nova relação da Bailey com o UCI Hero do Eli, desta forma:


Ora aqui a menina... não sabia se havia de rir ou de chorar.
Eu e os enfermeiros... eu e os gabinetes escondidos... eu e "nacos de carne" com aquele aspecto. Oh former lucky me...
Needless to say: been there, done that - sem ser apanhada!

E muito à moda da Bailey.
Porque é verdade: sou pequenina, profissional, mas adoro quando um homem me sabe desafiar...
No fundo, apetecia-me falar de uma cena que vi ontem no Grey's Anatomy.

Mas este post estava prometido.
Apresento uma das únicas coisas que me tem feito sorrir nos últimos dias - e especificamente no fim-de-semana passado:
[Para quem dizia que andava pouco blogger, acho que ainda cá volto hoje... para "aparvalhar", mas volto...]

15 March, 2011

Ainda hoje assumi: não ando a primar pela paciência para as pessoas. Não ando muito blogger.
Passo o dia a desejar não pensar. Não tenho muito para dizer, a minha mente está em loop, numb, sempre no mesmo deserto árido, sempre com a mesma paisagem..
Poucas são as pessoas que "permito" estar ao meu lado e mesmo assim, quando lá estou sou só o invólucro.
Doi-me ver a minha mãe a definhar - e morro de medo de acabar assim, rai's partam a carga genética. Doi-me estar entregue a um mundo que magoa, trespassa e aniquila. Doi-me estar entregue à minha Sorte, quando não sinto sorte nenhuma.
Calo-me, porque se falo, quase o faço a chorar, engulo as lágrimas e fujo das pessoas.

Valha-me a "liberdade", que está para chegar.

Tenho o teu abraço cheio
Com a solidão no meio
Que não me deixa abraçar
[...]
Tenho o corpo a correr
Tenho a noite a trespassar
[...]
Deixa andar
Deixa ser
Quando queres entender o que não podes disfarçar
Escolhes não sentir mas não é teu para decidir
[...]
Mesmo longe caiem rosas
Como pedras preciosas
Que confundem a razão
[...]
Tiago Bettencourt & Mantha - Largar o que há em vão

14 March, 2011



 A cidade não chora enquanto eu lá estou.
Guarda as suas lágrimas para quando lhe viro as costas.

Já eu, chorei até lá chegar e chorei depois de voltar.
Desta vez a cidade não foi minha. Eu não me senti lá.
In fact, não me sinto em lado nenhum.

11 March, 2011



Engraçado, como a vida ganha todo um novo nervoso miudinho, quando dá uma volta de 180º, acompanhada por dois murros na mesa e um fantástico wake-up call e o retorno ao nosso usual self.

Mesmo que não se veja grande luz ao fundo do túnel depois disso...

09 March, 2011

Começou assim e assim:


Continuou assim:
Cheguei a casa para fazer isto, enquanto vi a minha série favorita:
E acabou assim, hoje de manhã:
[Dos sonhos mais estranhos de ultimamente...]

Resumindo:
 Long live the little things...

[E ao que parece a constipação está finalmente a dar tréguas... shiiu não lhe digam nada, que é para ela não reparar...]

07 March, 2011

... ter ponte, ou ter o dia de férias. Mas não! Tenho dois estagiários para "estagiar" - fora todas as outras tarefas...
Afinal, até estou doentinha, com tosse, o peito pesado e noites mal dormidas com as dores... oh constipaçãozinha do raio, já ias com as p... ombas!

Também queria que isto deixasse de acontecer:
Porque é que sempre que avançamos de relação em relação, o que aconteceu de mau do passado volta para nos assombrar e ficamos sempre com a sensação de que estamos a viver sempre as mesmas coisas mas com uma pessoa diferente? Alguém me explica isto, por favor?

As palavras certeiras da minha Ana, da saia rodopiante... até assustam.
É que é sempre isto. E magoa, e faz desconfiar. E os meus próximos dias vão ser assim.
Deve ser a Lei da Atracção, ou a necessidade de aprender uma lição, ou a ironia a morder no rabo... ou, ou, ou...
Só sei que deixa uma pessoa muito wondering, mas... não vou deixar de viver! Ou morro de tédio...


Venha o feriado. O regresso a datas marcantes. O perguntar para onde foi o Futuro...
É descanso e expectativa.

03 March, 2011

Ter um Blogue é um estado de espírito, onde realmente depositamos tudo o que nos apetece e sentimos naquele dado momento e também pelo real gosto que temos no simples prazer de escrever. E quando assim o é, garantimos outra coisa realmente importante, em vez de ter 500, 1000 ou mais seguidores, temos um restrito grupo de pessoas que nos seguem, porque gostam do que escrevemos, porque se identificam connosco e como transparecemos o que realmente somos, essas pessoas gostam de nós, e não da imagem que criamos só para as “audiências”.

Com alma.

É assim que um dos meus melhores amigos, amigo de décadas já, e fora-blogues, vê e descreve o meu blogue.
Ao ler as palavras do Santo&Pecador, agradeço por ainda existir quem leia os blogues com sentimento. Orgulho-me dos poucos a quem me ligo por aqui e das muitas palavras que já escrevi.

Porque se este blogue nasceu de uma fuga, agora é muito mais, é parte de mim, o eu que escondo aos outros, a fuga sim, mas para dentro de mim.

Obrigada por me proporcionarem esta forma de vida

02 March, 2011


Um dia... ainda vou usar um vestido, exactamente, assim. E ser desenhada desta forma...

01 March, 2011

Estão a ver os hamsters nas rodinhas?
Correm, correm... esfalfam-se para gáudio de espectadores cá fora da jaula e, no fim, a recompensa é poderem comer e dormir, ao fim do dia.
Ora pois, sou eu. E a minha chefe, e o trabalho, e o espírito com que chego a casa à noitinha...
Ao menos... fosse eu tão fofa como este...
Olho para o lado e vejo colegas a combinar as férias de Carnaval... permito-me 5 minutinhos de day-dreaming e estava era aqui:
Com as minhas sapatilhas novas...
One can (only) dream, right?
Riiiiight!...
 
Copyright (c) 2010 Unleash your thoughts.... Design by Wordpress Themes.

Themes Lovers, Download Blogger Templates And Blogger Templates.