27 May, 2009

Directamente saído do cada vez mais famoso "triângulo de citações".
Desculpa João... mas estes bocadinhos tinha que roubar... porque me ajudaram a perceber e vão ajudar mais gente. Obrigada.

Há paixões que passam depressa, e amores que nunca se esquecem. [...] Não se deixa de gostar, não se esquece quem tanto se amou. Não se perde nada para sempre, porque fica, para sempre, guardado connosco. [...] No teu silêncio repentino, que tanto amargou, aprendi a encontrar o conforto que fez reinventar-me e aprender que ser diferente do que era antes seria a única saída dali. [...]. Aprendi que sou bem capaz de fazer aquilo que julgava não conseguir. Aquilo que me deste, e tão de repente tiraste, faz-me falta mas a falta que me faz não me afoga como antes. Ficou o que de tão bom havia para ficar. Se ainda o sinto, talvez. Talvez o sinta para sempre. [...]. Já foi, já era. Sigo por aqui, e apesar de tudo isto, tenho uma enorme vontade de [...] sorrir para o futuro.
Um amor de verdade não se esquece,
vive-se, guarda-se e segue-se em frente.

Hoje... foi estranho. Tive pena, saudades, sorri e encolhi os ombros. Apoiada em quem sabe que me apoia, mais uma vez, percebi (aceitei?) uma imensidão de coisas. Há dias em que não queria ter de crescer assim... porque quase me assusto. Mas tem que ser. E também to devo a ti.
Mas a relevância não está aí, em ti. Está no resultado.
Vangloriemo-nos, até certo ponto.

9 thoughts unleashed:

João said...

É com enorme contentamento que vejo aqui algumas das minhas palavras. Melhor que escrevê-las só mesmo perceber que há pessoas para quem as mesmas também têm significado.
Acho que tudo isto fala um pouco de fazer as pazes com aquilo que temos, ou tivemos, dar-lhe a devida importância e daí reconstruir algo de novo, mesmo que ainda não se saiba bem o que se vai construir.
Neste caso digo eu - obrigado! Beijos!

Salto-Alto said...

Adorei o texto!

No Limite do Oceano said...

Também tenho dias que ao sentir-me a crescer, fico com medo, é daqueles receios que sabemos que fazem parte da vida, e que sem elas seriamos apenas pó, que mais tarde ou mais cedo, o vento vindo de norte nos levaria até sul.

Beijos,
Carlos

CelyLua - O blog das Letras said...

Princesinha Izzie,

Olá, teu blog é belíssimo...
Estou a seguir teu lindo blog.
Tudo aqui é divino!
Parabéns e aplausos!
Beijos de poesias...
Deus te abençoe.
Com ternura,
CelyLua, Amiga e fã do seu lindo blog.

Muito obrigada!

Cry me a River said...

"Cada um que passa em nossa vida, passa sozinho, pois cada pessoa é única e nenhuma substitui outra. Cada um que passa em nossa vida, passa sozinho, mas não vai só nem nos deixa sós. Leva um pouco de nós mesmos, deixa um pouco de si mesmo. Há os que levam muito, mas há os que não levam nada. Essa é a maior responsabilidade de nossa vida, e a prova de que duas almas não se encontram ao acaso."
IN-Antoine de Saint-Exupéry
BEIJO

Tyta said...

Essas palavras do João tem um poder fantástico de mexer connosco não tem?

...No caso, de nos fazer sentir que "crescemos"... Penso que cada um de nós consegue perder-se e encontrar-se nestas palavras... Encontrar um pouco de si, um pouco de alguém que já perdeu, e um pouco do que ficou e vai permanecer para sempre...
E é com os olhos postos na frente que sabemos que vamos prosseguir viagem com esses "poucos" na bagagem das estradas que fomos cruzando ao longo da vida...

izzie said...

João: Ao transcrever-te aqui quis, não só, agradecer-te como guardar este pedaço para mais tarde recordar - como tantas vezes me apetece fazer com as tuas palavras.
Espero que não tenhas visto esta citação como uma intromissão.
Os agradecimentos são todos, todos meus.
Beijo grande,

Salto: O João tem este dom... também me apaixonei e li imediatamente neste texto.

Carlos: Não o poderia ter dito melhor... são estes pedaços de crescimento... mesmo assustadores, mesmo os que custam que nos dão substância.
Beijo,

Cely: As tuas palavras deixam-me agraciada e quase muda de tanta doçura e gratidão.
Obrigada por estares desse lado.
Beijinhos,

Cry me a River: Obrigada por trazeres Saint-Exupéry, que cada vez adoro mais, para o meu cantinho.
Obrigada por me leres e dispensares carinho.
Um beijinho grande,

Tyta: O João merece, sem dúvida, o seu clube de fãs :)
Adorei as tuas palavras. Obrigada por passares por aqui e me fazeres sorrir.
Um beijo,

BM said...

"Um amor de verdade não se esquece,
vive-se, guarda-se e segue-se em frente."

Esta frase é brilhante mas carregada de alguma tristeza...os amores de verdade deveriam permanecer para sempre, sem prazo de validade.Conosco até ao fim do mundo. Esquecemos contudo a inevitabilidade da hipótese de um final que todo o princípio pressupõe e para ele nunca estamos preparados...

Bjs

izzie said...

BM: Concordo contigo.
Mas é tal como me dizia um amigo meu... este é um texto de recomeço. E em cada um, a meus olhos, existe sempre um pouco de tristeza mesclado com todos os outros sentimentos, não?
E que dizer mais quando a tua última frase diz tudo?
Adoro quando escreves assim :)

 
Copyright (c) 2010 Unleash your thoughts.... Design by Wordpress Themes.

Themes Lovers, Download Blogger Templates And Blogger Templates.